VITROLA

Nem que o disco caia
e a perna treme
música é o que geme
sol sem sua saia

Nem que pare o disco
e você me olhe
teu caldo que me molhe
fustigo aperto, belisco

Afoito de desejo
Gal Costa vigia
é doce magia
teu molhado beijo

Nós dois na nudez
Caetano cantarola
na velha vitrola
um só de nós se fez

Num doce anseio
em cima do vinil
aqui se vê no que se ouviu
perna, anca, sussurro, seio

 

Essa preta que me beije
orgasme e rege
nem que o Chico me inveje
nem que minha perna fraqueje

Olhar sacana do Cazuza
e a pretinha atiça bule
nem que o disco pule
ela brinca, devora, lambuza

Nosso amor que se derrame
na entranha, lírio, risco
esse nosso disco
o fulgor da chama chame.